RIO – A Prefeitura deu novo impulso para a conclusão do mapeamento dos subterrâneos da cidade ao publicar no Diário Oficial do município, na última segunda-feira, prazos para que as concessionárias entreguem os cadastros atualizados de suas redes. Quem não fizer isso até janeiro terá negadas licenças para obras em áreas públicas. A intenção é finalizar o Sistema de Gestão de Obras em Vias Públicas, o Geovias — um mapa digital com informações sobre as linhas das cinco principais concessionárias do município: CEG, Light, Cedae, Oi e Embratel. Com esses dados, a prefeitura espera evitar rompimento de dutos durante obras, o que costuma provocar desabastecimento de água, luz e internet e interdições no trânsito.

TUBULAÇÕES AINIDA DESCONHECIDAS

O engenheiro civil Manoel Lapa, vice-presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) do Rio, elogiou a iniciativa da prefeitura de mapear o subsolo carioca.

— Na minha opinião, é uma medida muito boa, que chega com muitos anos de atraso. Durante décadas, obras urbanas deixaram grandes prejuízos para a população. Eu mesmo passei pela experiência de enfrentar um subsolo desconhecido. Entre 1977 e 1980, por exemplo, trabalhei nas obras do metrô no Rio e, por inúmeras vezes, tivemos que paralisar os trabalhos para remover redes e tubulações que nem as empresas concessionárias conheciam — afirma o engenheiro.

Lapa acrescenta que houve inúmeros acidentes pelo absoluto desconhecimento sobre a localização das redes instaladas nos subterrâneos da cidade:

— E cada acidente era um grande prejuízo para a população. Existem ainda redes antigas, acredito, que não são de conhecimento até mesmo das concessionárias. É um problema muito grave, sério. Imagina uma rede de esgoto colada a uma rede de fornecimento de água. Um acidente pode contaminar tudo rapidamente. Um risco para a saúde das pessoas.

Na opinião de Lapa, a medida vem com atraso, mas terá muita importância:

— Escuto essa promessa há muito tempo. É isso mesmo. A prefeitura precisa exigir que seja feito. Uma medida de muita importância para a cidade e, principalmente, para a população. (Antônio Werneck).

Read more: http://oglobo.globo.com/rio/redes-subterraneas-das-concessionarias-ja-estao-mapeadas-em-90-da-cidade-13479896#ixzz39j6denij